Com orçamento “na conta do chá”, clubes se unirem para gritar socorro

José Guilherme, presidente do Salgueiro — Foto: Emerson Rocha

Enquanto os clubes das divisões nacionais (Séries A, B, C e D) já fizeram seus pedidos para a CBF, agora é a vez dos clubes que disputam os estaduais com orçamento “na conta do chá” se unirem para gritar socorro.

Através de um grupo de mensagens, que já conta com mais de 170 presidentes de todo Brasil, os clubes debatem o momento atual do futebol.

O grupo foi criado pelos presidentes do Salgueiro, José Guilherme da Luz, e Barbalha, Lúcio Barão. A intenção, segundo o dirigente do clube pernambucano, é fazer com que os clubes pequenos sejam escutados.

Em reportagem ao globoesporte.com, José Guilherme mostra preocupação: “A apreensão imediata é dinheiro. Estamos há quase um mês parados. Vamos pagar março como? O mês de abril, é férias, o mês está morto também. Se essa pandemia demorar mais uns dias, vamos dizer lá para maio, são três meses. Vamos viver de quê?”

“Estamos pedindo uma ajuda imediata da CBF, três parcelas de R$ 75 mil [para cada clube], com a teoria que vamos ficar março, abril e maio parados. Quando voltar em maio, só duas parcelas que é para a gente conseguir sobreviver e terminar os estaduais, como a CBF e as federações estão dizendo que vai ter data.” completa o presidente do Salgueiro.

Vale lembrar que os clubes com calendário nacional já formalizaram o pedido de ajuda financeira com as devidas assinaturas dos representantes.